impressionante, Mulher quer e tenta desesperadamente ficar paraplégica!

Chloe Jennings-White, de 57 anos, sofre de Transtorno de Identidade da Integridade Corporal (TIIC) – uma condição mental que significa que ela deseja ser paralisada da cintura para baixo.
Essa obsessão de Chloe começou aos nove anos, quando ela tentou copiar sua tia paraplégica.

cadeira3

Ela tentou se paralisar batendo sua bicicleta para quebrar as próprias costas.
Chloe, que vive com sua parceiroa Danielle em West Bountiful, Utah, disse: “Eu realmente não sabia o que eu estava fazendo. Mas eu tinha uma vontade enorme de ser paraplégica como a minha tia. Eu não sabia que havia algo de errado com isso.
Eu me joguei de bicicleta de um palco de madeira alto em um parque. Isso resultou em alguns cortes e contusões, mas nada mais sério do que isso.
A bicicleta pousou no meu pescoço com toda a força em cima de mim. Foi nesse momento que eu percebi que estava tão propensos a quebrar o meu pescoço quanto minhas costas e acabar tetraplégica – totalmente paralisado -. Que eu não queria, apenas queria da cintura para baixo.”
Chloe foi diagnosticada em 2008 e os médicos sugeriram que ela usasse uma cadeira de rodas para que, desta forma, parasse de tentar se machucar

Agora Chloe escolheu viver sua vida sobre quatro rodas – fingindo que está paralisada.

cadeira2

 

Ela revelou: “poder utilizar uma cadeira de rodas é um alívio enorme, e mais próximo que posso chegar do meu desejo já que eu nunca consegui ficar paraplégica.
“BIID (em inglês), é uma doença grave e por anos eu não tinha idéia do que havia de errado comigo.
Agora, finalmente, eu sei que não estou sozinha e usando uma cadeira de rodas ajuda a conter meu desejo de quebrar minhas próprias costas, o que provavelmente salvou minha vida.”
Chloe, que também se ofereceu para um programa de pesquisa sobre a doença, disse ao Daily Mirror: “Foi um alívio por finalmente ter um diagnóstico, mas eu ainda estava cética. Eu preocupada com o que as pessoas iram pensar, mas eu concordei em fazer uma tentativa.”

cadeira1

“Estou muito feliz, eu uso a cadeira mais e mais, mas continuo com o meu estilo de vida ativo, livrando-se dela quando vou caminhando até as montanhas, pelo menos uma vez por semana no verão, e quando eu vou esquiar no inverno.
Eu penso comigo mesma que se eu continuar a fazer as duas atividades, então eu estou em alto risco de se tornar paraplégica – daí a minha motivação para continuar fazendo.”

Comentários ofensivos, abusivos ou com spam, fará com que você seja banido de comentar!